História

A Agência de Promoção da Cultura Atlântica (APCA) é um organismo de direito privado sem fins lucrativos, com sede na Região Autónoma da Madeira, fundada em 2005 com o propósito de contribuir para o desenvolvimento e divulgação do Conhecimento, da Cultura e das Artes das ilhas atlânticas num âmbito geográfico mais abrangente possível.

Desde então a APCA, actuando nas áreas do conhecimento científico e cultural, mas também tecnológico, concebeu e desenvolveu projectos, constituiu-se produtora executiva e parceira do Governo Regional da Madeira, entre outras parcerias públicas e privadas, enquadrou na sua estrutura iniciativas desenvolvidas por técnicos credenciados, outra consequência da colaboração com o Governo Regional da Madeira, e acolheu estágios de alunos do ensino superior. O modelo baseado no conceito de rede caraterizador da acção da APCA teve como consequência imediata a concretização de várias iniciativas.

Na área da educação e do conhecimento são exemplos o projecto ZOOM dirigido aos alunos do ensino primário e secundário da RAM, o qual promoveu o conhecimento dos Media; e o projecto CHRONOS (2007-2009), co-financiando pelo programa Interreg-Mac, que procurou disseminar o estudo da cultura e história das ilhas atlânticas. Entre este conjunto é de destacar igualmente a capacidade que a APCA tem demonstrado para criar projectos com parceiros internacionais, a par dos regionais. São exemplos o PI ESPECIAL e o ARQUEOMAC (PCT MAC), o primeiro destinado a promover a introdução de TIC avançadas junto dos alunos do Ensino Especial e o segundo destinado a promover as ilhas da Macaronésia como destino de turismo cultural e científico, utilizando o património arqueológico como conteúdo primário.

Em 2010, deu-se início ao desenvolvimento do PATRISIG, o qual tem por duplo objectivo aprofundar o conhecimento relativo à etnografia madeirense e disponibilizar informação relativa à área em apreço à população residente e aos visitantes da ilha. Uma vez mais, a APCA desenvolveu também neste ponto uma abordagem inovadora, em particular no que diz respeito ao processo de recolha de informação, do qual resultou referências a temáticas não tratadas habitualmente.

Ainda na área do conhecimento, a APCA desenvolve actualmente o APRENDER MADEIRA. Este projecto em franca expansão visa actualizar o conhecimento enciclopédico relativamente à Madeira, na esteira do Elucidário Madeirense. A envergadura do mesmo resulta das mais de dez universidades nacionais e estrangeiras que se constituíram parceiras e dos mais de quinhentos investigadores que colaboram com o projecto, e é sustentada pelos resultados alcançados, nomeadamente o portal online (www.aprenderamadeira.net), com a disponibilização do conhecimento adequado aos diversos perfis de utilizadores, a edição da enciclopédia em papel, edições e reedições de obras históricas da literatura e História da Madeira, contribuindo desta forma para o aumento da literacia histórica da comunidade. As possibilidades de crescimento sustentam-se na capacidade do projecto agregar valências complementares.

No campo da organização de eventos de cariz cultural, destaque para o facto da APCA produzir desde 2004 o Festival MADEIRADiG, o mais duradouro do género existente em Portugal, considerado uma referência nacional no campo da música digital e reconhecido internacionalmente, sendo por isso um cartaz cultural capaz de atrair público externo e de divulgar o destino turístico Madeira. Para além deste festival, a APCA foi a entidade organizadora e produtora do Festival Raízes do Atlântico, evento da então Direção Regional dos Assuntos Culturais (DRAC), no Funchal, entre 1999 e 2013.

O contributo da APCA para a sociedade faz-se igualmente através da disponibilização da experiência acumulada em gestão cultural, incluindo a necessária vertente financeira, aos projectos formativos. Entre estes, destaca-se o NAVE, elaborado por uma mestranda em Gestão Cultural, da Universidade da Madeira, mas é também significativo o contributo da APCA nesta vertente e noutros estágios realizados no âmbito do ensino técnico profissional.

A evolução da APCA enquadra-se, numa perspectiva mais geral, no desenvolvimento do associativismo cultural e do sector cultural e criativo madeirense registado nas últimas décadas, crescimento em parte sustentado em parcerias privadas e entre o público e o privado. À APCA, como ao sector em geral, colocam-se oportunidades de crescimento no curto prazo, de modo a continuar os projectos acima referidos e desafiar os seus limites actuais no estrito entendimento do benefício da comunidade.


Cronologia

2004
1. MADEIRADiG 04 – 1ª edição
2. Projecto ZOOM

2005
1. MADEIRADiG 05 – 2ª edição
2. Projecto ZOOM

2006
1. MADEIRADiG 06 – 3ª edição
2. Projecto ZOOM

2007
1. MADEIRADiG 07 – 4ª edição
2. Projecto CHRONOS
3. Culturede

2008
1. MADEIRADiG 08 – 5ª edição
2. Projecto CHRONOS
3. Culturede
4. Paralelo 33

2009
1. MADEIRADiG 09 – 6ª edição
2. Projecto CHRONOS
3. Paralelo 33

2010
1. MADEIRADiG 10 – 7ª edição
2. Projecto PI ESPECIAL
3. Projecto ARQUEOMAC
4. Paralelo 33

2011
1. Festival Raízes do Atlântico [Produção da XIV edição]
2. Projecto APRENDER MADEIRA
3. MADEIRADiG 11 – 8ª edição
4. DVD MIC.MADEIRA|SIMON WHETHAM & HUGO OLIM [Lançamento internacional do DVD audiovisual arte digital]
LINK:
5. Projecto PI ESPECIAL
6. Projecto ARQUEOMAC
7. Paralelo 33

2012
1. Projecto APRENDER MADEIRA
2. Projecto PI ESPECIAL
3. Projecto ARQUEOMAC
4. Festival Raízes do Atlântico [Produção da XV edição]
5. MADEIRADiG 12 – 9ª edição
6. Registo e divulgação de “Memory Fragments”, de Pierce Warnecke

2013
1. MADEIRADiG 13 – 10ª edição
2. Projecto APRENDER MADEIRA
3. Festival Raízes do Atlântico [Produção da XVI edição]
4. Projecto PI ESPECIAL
5. Projecto ARQUEOMAC
6. Projecto PATRISIG

2014
1. MADEIRADiG 14 – 11ª edição
2. Projecto APRENDER MADEIRA
3. Projecto ARQUEOMAC
4. Projecto PATRISIG

2015
1. MADEIRADiG 15 – 12ª edição
2. Projecto APRENDER MADEIRA
3. Projecto ARQUEOMAC
4. Projecto PATRISIG

© 2016 APCA - Madeira