A aprovação desta cátedra pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), em 2015, concretizada pela Agência de Promoção da Cultura Atlântica, em parceria com o Instituto Açoriano de Cultura dos Açores e Cabo Verde (IAC), é evidência da evolução da APCA e é demonstrativo do crescente contributo desta organização para o desenvolvimento da cultura e conhecimento madeirenses.

A Cátedra de Estudos Insulares Atlânticos institui-se à luz do ideário de promover a investigação fundamental e aplicada da herança cultural e científica das ilhas lusófonas articulada com o escopo de renovar e enriquecer os conteúdos pedagógicos das universidades lusófonas e dos territórios das diásporas insulares provindas das ilhas atlânticas. Assente numa matriz epistemológica marcadamente interdisciplinar e transdisciplinar, e na área matricial das Artes e Humanidades, esta cátedra tem como desiderato primordial dinamizar a pesquisa em torno do património material e imaterial das ilhas atlânticas de língua oficial portuguesa, de modo a contribuir para o seu conhecimento mais sistematizado e aprofundado. Este conhecimento crítico favorecerá a valorização das ilhas em termos de divulgação cultural e científica internacional e aproveitamento para o desenvolvimento da indústria do turismo e de outras aplicações no plano da afirmação da herança cultural nas instâncias de reconhecimento mundial.

Com a crescente proliferação dos estudos nesológicos no plano internacional através da constituição de instituições em diferentes países com geografia insular, impunha-se a criação na Universidade Portuguesa de uma cátedra vocacionada para os estudos das ilhas relacionadas histórica, política e culturalmente entre si e Portugal.

Esta cátedra, a partir da área geral de estudos de cultura, convocará as mais diversas áreas científicas para desenvolver projectos de investigação e de formação avançada assentes no desiderato de obter resultados marcados pela transversalidade científica e pela complexidade das análises com vista a uma actualização do conhecimento sobre as modalidades de criação cultural e científica em ambiente insular.

A criação desta cátedra insere-se na projecção programática da relevância da geografia das insularidades no século XXI defendido Grant MacCall, que considerou o nosso milénio como sendo o das ilhas. À luz desta convicção tornada lema, foi lançado, no quadro de organizações mundiais como a Unesco, um debate e programa de investigação científica em ordem a conhecer o papel das ilhas no contexto das sociedades hipermodernas e das relações de rede em pleno aprofundamento do processo de globalização. As comunidades científicas estão cada vez mais sensíveis ao lugar distintivo das ilhas e das suas redes que formam os arquipélagos no estudo retrospectivo e prospectivo destes espaços extra-continentais, tendo em consideração a sua importância geoestratégica e as suas particularidades culturais e identitárias.

Tendo como objectivo geral constituir-se como pólo dinamizador da investigação e ensino dos temas ligados à insularidade no quadro das ilhas atlânticas, em particular as ilhas lusófonas ou ligadas à comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa, como objectivos específicos enumeram-se: a) fomentar estudos numa perspectiva interdisciplinar e transdisciplinar em torno das culturas insulares, b) desenvolver uma plataforma científica de intercâmbio com instituições internacionais que se dedicam aos estudos das ilhas, c) construir um portal na internet com o intuito de divulgar a investigação que se realiza a nível internacional em torno das ilhas e da condição insular, d) promover eventos culturais e científicos, nomeadamente colóquios, congressos, encontros, concertos e exposições, e) angariar recursos e criar bolsas de estudo para promover a investigação e o ensino sobre as culturas insulares, f) Criar uma linha de estudos insulares de formação avançada, g) promover a criação de instrumentos de conhecimento sistemáticos sobre os universos culturais insulares, h) fazer um levantamento bibliográfico exaustivo para constituir um roteiro de fontes e livros de estudos em actualização permanente numa base de dados a constituir no site da cátedra, i) preparar edições criticamente anotadas de obra inéditas e pouco conhecidas das herança cultural das ilhas atlânticas, j) criar um laboratório multimédia para a produção de conteúdos avançados para servir de base a programas de ensino, especialmente, em modo e-learning, bem como de conteúdos multimédia educativos e culturais que permitam a divulgação do conhecimento científico sobre as realidades culturais insulares.

Tendo a Universidade Aberta como instituição de acolhimento, contam ainda como parceiras as seguintes instituições, relação que inclui as principais universidades portuguesas e centros de investigação, e relevantes universidades internacionais: Universidade Aberta; Universidade de Brown; Universidade da Madeira; Universidade dos Açores; Universidade de Cabo Verde; Universidade de Coimbra; Universidade Católica Portuguesa – Braga; Universidade do Algarve; Universidade de Alcalá de Henares; Universidade de Santiago de Compostela; Universidade do Minho; CHAM - Universidade Nova de Lisboa; Carism - Universidade de Paris II; Universidade Federal de Santa Catarina; Centro de Estudos Camonianos da Universidade de Coimbra; Universidade de Birmingham; Universidade de Chemnitz; Universidade do Hawai; Universidade de Sydney; e a Universidade de Bamberg.

Outros Projectos

© 2016 APCA - Madeira